domingo, 15 de novembro de 2015

Oremos pelo mundo

Oremos
Pelo mundo que convulsiona
Pela natureza que de tão enojada
Vomita seus habitantes em terremotos, tsunamis e furacões 
Oremos pelo mundo que não suporta mais tanta extração, extorsão das almas que tentam se refugiar em vão em terras distantes
Pois latitude e preconceito estabelecem as fronteiras
Oremos pelas crianças, dizimadas na violência dentro seus lares, onde o abandono é amparado pelo que se diz Estado protetor, mas que nada faz a não ser encher os abrigos de meninos e meninas que depois passarão às prisões, tendo nascido e morrido sem ver o sol da justiça.
Oremos por essas meninas tornadas mulheres tão cedo por uma sociedade que as vê como objeto obsceno pelos olhares dos estupradores reais e virtuais.
Oremos por elas.
Oremos pelos meninos sem futuro, que muitas vezes não querem estudar porque aprendem pela tv que virarão estrelas do futebol, fantasia megalomaníaca em uma realidade rarefeita.
Oremos pelo mundo.
Oremos pelas mulheres, de quem os direitos, que mal estavam assegurados, vão sendo subtraídos como um útero infecundo.
Oremos pela humanidade que, quanto mais desenvolvida em bens, mais estúpida se torna, incapaz de amar o de perto e o de longe.
Oremos.
Muitas vezes nosso grito não é ouvido. Outras ele é silenciado. Por isso nossas gargantas doem, sedentas de alívio.
Então oremos.
Oremos. Oração é luta em forma de súplica.
Oremos porque o mundo está morrendo e arrastando para o fim do amor todo ser vivente.
Oremos para que esse fim não nos tire a vontade de continuar lutando.
Somos Mariana
Somos Amarildo
Somos Malala
Somos Madeleine
Somos Francisco
Somos Cláudia
Somos Bernardo
Somos Eduardo
Somos Jean Charles
Somos Carolina
Somos João Vitor
Somos Tim Lopes
Somos Yuca
Somos Stuart

Somos as crianças esquecidas, cegas e surdas
Somos os filhos da praça de Mayo
Somos os judeus exterminados
Somos os africanos escravizados
Somos Alemão
Somos Maré
Somos Osasco
Somos Rocinha
Somos Rio Doce
Somos Amazônia
Somos Egito
Somos Nigéria
Somos Berlim
Somos Grécia
Somos França
Somos os jovens desempregados da Espanha
Somos os refugiados da Síria
Somos Israel sitiada
Somos os mortos do World Trade Center
Somos os nordestinos na seca
Somos os mineiros afogados na lama
Oremos.

Um comentário:

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Crica
Que barbaridade a gente vê por todo lado!
Lindo poetar onde as palavras brotam da veracidade dos fatos!
Bjm fraterno