domingo, 31 de outubro de 2010

AGORA TEMOS UMA "PRESIDENTA"

Bom, gente. Eleição acabou, coisa já do passado recente, e ganhamos "uma presidenta" de presente. Pode ser presente de grego. Ou não. Sei lá.

O fato é que esse ano com "nunca antes na história desse país" eu não votei. Em ninguém. Não senti vontade, não senti prazer e muito menos obrigação só pra não deixar a oposição ou quem quer que seja ganhar o pleito. Como cidadã me achei no direito de não votar em quem não sinto confiança. Pra mim essa coisa de que tem que votar é furada. Voto se quiser. E eu não quis.

Agora temos uma mulher no poder máximo do executivo brasileiro. Gostando dela ou não, em termos sócio-histórico-políticos isso é um avanço na jovem democracia brasileira. Mas vamos ver no que vai dar.

Sei que muita gente acha a "nossa mais nova aquisição política" sem sal nem açúcar, ou autoritária, ou sei lá o quê. Eu nem sei o que acho. Simplesmente pela primeira vez não achei que valesse meu voto na briga democrática. Pode ter sido a doença, a depressão, a falta de vontade de tudo aqui dentro de mim, mas o que mais me deixou com a consciência política tranquila esse ano foi me abster, coisa que não é nem delonge a minha prática. Me surpreendi com minha atitude. Quem sabe tenha sido melhor assim.

Só que, apesar de discordar, não quero iniciar o novo ano eleitoral maldizendo, praguejando, esbravejando. Tô tentando ser light numa selva que só ganha quem tem cacife, e o meu não é dos maiores, digamos assim.

Bom, é isso. Acho que consegui expressar minha opinião sem ferir ninguém aqui na blogosfera. Por isso não postei nada durante o processo, não queria ser mal interpretada e ferir meus queridos e queridas de alguma forma. Pode parecer "em cima do muro"? Que seja, esse aqui é o meu espaço e acho que poso falar com toda a educação que mommy me ensinou o que penso a respeito da vida.

Parabéns pra quem abraçou o projeto que ganhou e quem não abraçou, vamos ver como é que fica.

Fui!!!!!

6 comentários:

Tati Vice disse...

Pois entao, Crica, fica a interrogação, na esperança de que o pais nao se transforme numa Venezuela e que a democracia nao seja feita uma ditadura. Fiz minha parte, porque achei que assim, faria diferença. Mas, nunca fui iludida pras urnas. Acho mesmo que no final do dia, eles elegem quem eles querem e o povo que se dane.

Lucia Cintra disse...

Well... dependendo de como vai ser, vamos ver se demorarei mais uns 11 anos pra voltar ao Brasil ou se poderei ir antes...

Boa Sorte!

bjos

Crica Viegas disse...

Espero que vc venha logo, Lu!

E Tati, acho que no fundo e no raso é isso aí, a gente que se lasque.

Mila Viegas disse...

Cara, na última eleição eu votei com fé, amando votar e bla bla bla. Fiquei saltitante que os meus escolhidos foram eleitos, masssss... Só fizeram merda!!! Foi pior do que votar nos camaradas que perderam pois a decepção foi maior.

Então que se exploda!!! Sabe por que??? Muita gente babaca vive levantando a bandeira da democracia, dizendo que quem anula ou justifica voto não está exercendo a cidadania e bla bla bla. Daí eu pergunto: Quem vota em tralha está? Quem elege gente safada está? Que troca voto por saco de cimento está? Quem faz filho para receber auxílio do governo está???

Então me poupe, sabe??

Detalhe: Eu nem votei, nem justifiquei.. estou na ilegalidade... kkkkk.. Vou lá no Tribunal pagar a multinha e que se f#da!!!

Bordados e Retalhos disse...

Querida, também fiquei "em cima do muro". Quero dizer que não me manifestei no blog, mas votei e considero importantíssimo o voto. Respeito muito sua opinião e seu direito de não votar. Mas para mim execer o dever ou o direito de votar, como queira, é como morar numa casa e se importar em limpar, abastecer de comida, cuidar...é obrigação (isso pra mim). Se eu me abstenho dessa tarefa, vira o caos. Mas compreendo a falta de vontade de votar, o carisma nenhum dos candidatos,a baixaria da campanha, porém para mim muita coisa estava em jogo. Preferi não me manifestar em respeito aos amigos queridos que não pensam igual a mim. Cada vez que leio uma agressão aos candidatos, nos blogs , confesso que me sinto muito ferida. Mas, o blog é o seu diário, e a pessoa tem o direito de escrever o que quer. Mas já pensou se a gente sair agredindo os que pensam diferente de nós? Nossas relações ficariam muito prejudicadas, inlusive dentro de nossa prória família. Bjs querida achei suave e verdadeira a forma como vc abordou o tema.

Isadora disse...

Crica, eu votei sim, mas muito sem convicção!
De qualquer forma, independente de partidos, o fato de uma mulher ser eleita, no Brasil é um marco.
Um beijo