domingo, 30 de março de 2008

MEU CABELO NOVO...RS

Tava agorinha lendo o blog da Lu sobreo novo corte de cabelo e resolvi postar tb, já que ba sexta tb cortei o meu...rs...
Pedi um corte à la Victoria Beckham ou Katie Holmes, com ares de Gwen Stefani...ahaahahahahahhaahah
Só sei que ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
que ameiiiiiiiiiiiiii
que ameeeeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
tentei tirar de alguns ângulos que dessem pra ver mais ou menos como ficou:











Na última foto eu tava me arrumando pra festa dos Marcianos...rs

quinta-feira, 27 de março de 2008

YOU ARE BEAUTIFUL


Espalhar esse elogio mundo afora é o objetivo dos autores do site www.you-are-beautiful.com .
Eles organizam ações, algumas delas clandestinas (dessas eu gostei...rssrsr) para a instalação das 3 palavrinhas em muros, placas, fachadas... A idéia é contrabalançar a avalanche de mensagens publicitárias que tentam convencer as pessoas de que elas são feias e desinteressantes, qualidades só atingidas pelas celebridades em geral. As pessoas podem colaborar enviando imagens de instalações suas ou inscrever-se para receber e colar por aí adesivos do movimento. Pegadas comerciais, como anunciar em classificados de jornais, não são aceitas.
E vcs, o que pensam a respeito?

HAPPY PILLS

Tomar remédio pra tratar os estados da alma está se tornando tão comum hj em dia que a gente vê pessoas trocando receitas como se fossem de comida...
Claro que tem gente que realmente precisa, mas a maioria de nós tem mania mesmo de se automedicar.
Então, para os hipocondríacos de plantão (rs), surgiram em Barcelona, na Espanha, as Hapy Pills. Elas nada mais são qeu balas, jujubas e afins em embalagens como de farmácia, vendidas em lojas tipo farmácias, mas o mais importante: são todas sem contra-indicações.


Pode??????????? rsrsrsrsrsrssr

TÔ CHEGANDO LÁ..RSRSRSRSR

Gentem, sabiam de uma coisa: já se foram 30 kg...EBAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Nem acredito, e ainda vou fazer 6 meses de operada dia 2 de abril...não é o máximo???
Tem sido uma fase de muitas mudanças, muitas escolhas, muita negação (não posso isso, não posso aquilo), mas que está valenso super a pena...quem me conhece sabe que a perua inside me está mais feliz...rsrsrssrsrrsrsr
Bom,. essa figura aí embaixo é , digamos, meu sonho de consumo...rsrs...quero ficar assim, linda, magra e loiraaaaaaaaaaaaa....bom, linda e loira já sou, e o magra tá chegando já já ...rsrsrsrrrsr
Sei que tem muita gente torcendo por mim, brigadíssima por isso!!!!!!



JUST LIKE ME...RSRRRRS

Gentem, sorry por dar uma sumida, mas ando com a cabeça meio de saco cheio de tudo por conta de "pobremas" familiares...ok, todo mundo aí vai dizer: 'ih, fica assim não, família é tudo igual"... eu sei, mas não vou falar sobre isso agora...rs...
Estão vendo a belezura aí embaixo: MINHA FILHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Depois de colocar pela casa bilhetes "eu quero minha boneca" maridão resolveu me dar de presente, pelo menos pra parar de ouvir falar no raio da boneca...rsrs
Mas eu tô nem aíííííiííííí´....mereço um presente, e se ele não me der, arrumo um amanteeeeeeeeeeeeeeeeeeeee...haahahahahahahaahahahaahah
Bom, essa coisa cabeçuda e foférrima não chegou ainda, mas tem nome: Lorelei, mas resolvi abrasileirar e colocar Lorelai pra evitar aqui confusões de pronúncia nesse povo burroooooooooooooooooo...rsrrsrrsr
Tem os cabelos iguaizinhos aos meus, corte e tudo...rsrs
Podem dizer: loucaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Sou...mas quem não é???
Hahahahahahaahahahahahaahahaahahaah





quinta-feira, 13 de março de 2008

O IDIOTA E A MOEDA

Conta-se que, numa cidade do interior, um grupo de pessoas se divertia com o idiota da aldeia. Um pobre coitado, de pouca inteligência, vivia de pequenos biscates e esmolas. Diariamente eles chamavam o idiota ao bar onde se reuniam e ofereciam a ele a escolha entre duas moedas: Uma grande de 400 RÉIS e outra menor de 2.000 RÉIS. Ele sempre escolhia a maior e menos valiosa, o que era motivo de risos para todos. Certo dia, um dos membros do grupo chamou-o e lhe perguntou se ainda não havia percebido que a moeda maior valia menos . - Eu sei, respondeu o tolo. 'Ela vale cinco vezes menos, mas, no dia em que eu escolher a outra, a brincadeira acaba e não vou mais ganhar minha moeda' .
Pode-se tirar várias conclusões dessa pequena narrativa.

A primeira: Quem parece idiota, nem sempre é.

A segunda: Quais eram os verdadeiros idiotas da história?

A terceira: Se você for ganancioso, acaba estragando sua fonte de renda.

Mas a conclusão mais interessante é a percepção de que podemos estar bem, mesmo quando os outros não têm uma boa opinião a nosso respeito. Portanto, o que importa, não é o que pensam de nós, mas sim, quem realmente somos. O maior prazer de um homem inteligente é bancar o idiota diante de um idiota que banca o inteligente. Preocupe-se mais com sua consciência do que com sua reputação. Porque sua consciência é o que você é, e sua reputação é o que os outros pensam de você. E o que os outros pensam...... é problema deles.



Arnaldo Jabor

terça-feira, 11 de março de 2008

INTERESSANTE E CONTROVERSO...

"Há algo importante que precisa ser dito sobre a tristeza: trata-se de um sentimento muito rico", afirma o psicólogo americano Jerome Wakefield

"Prefiro um tolo que me faça rir a uma experiência que me faça triste"
William Shakespeare (1564-1616), dramaturgo inglês




EMOÇÕES REVELADAS

O americano Jerome Wakefield, professor da Universidade de Nova York, estuda os fundamentos filosóficos da psiquiatria. Com formação em psicologia e doutorado em filosofia, gosta de investigar a natureza das doenças. Nos últimos tempos, Wakefield debruçou-se sobre a depressão – uma doença hoje considerada epidêmica – e sobre a linha tênue que a separa da tristeza comum, provocada pelas desventuras da vida. “Desde que a psiquiatria passou a diagnosticar a depressão de acordo com os sintomas, e não pelo contexto vivido pelo indivíduo, existe uma enorme confusão entre as duas coisas”, afirma. “O resultado é que as pessoas se tornaram ultra-sensíveis em relação às emoções negativas e preferem tomar remédios a investigá-las.” Segundo Wakefield, a tristeza profunda existe em todas as culturas e os motivos que a provocam podem ser enquadrados nas mesmas categorias em todos os lugares. “Se você mostrar uma foto de alguém tristonho a moradores de uma tribo isolada e perguntar por que a pessoa está daquele jeito, eles apontarão os mesmos motivos que eu ou você”, diz. “Dirão que o retrato é de alguém que perdeu um ente querido, ou terminou um relacionamento, ou está enfrentando dificuldades materiais, ou está doente e por aí vai.” Por isso, diz o pesquisador, chama a atenção o fato de a tristeza ter se transformado num estigma em nossa sociedade. No livro The Loss of Sadness (numa tradução livre: “A perda da tristeza”), Wakefield e o sociólogo Allan Horwitz explicam como chegamos ao ponto de classificar como doença um sentimento que é parte da vida. De Nova York, Hakefield falou a Época NEGÓCIOS.

Por que a tristeza virou motivo de debates recentemente? Diversos livros e artigos sobre felicidade surgiram nos últimos anos. Além disso, inúmeras pesquisas e obras sobre depressão foram publicadas. Agora essas duas coisas estão entrando em colisão. Existem dúvidas em relação ao objetivo de alguns desses trabalhos, que seria tornar possível que as pessoas sejam mais e mais felizes. É claro que todos querem ser mais felizes e não há nada errado nisso, mas há uma percepção de que alguns autores estão tentando ignorar a tristeza, ou defender que ela seja algo ruim, quando outros acreditam que a tristeza é uma emoção normal que cumpre um papel importante em nossas vidas. Esse debate envolve questões antigas, que remontam a 2,5 mil anos, relacionadas à natureza e ao sentido da vida. São questões profundas. E essa discussão, além de uma dimensão psicológica, tem uma dimensão política, na medida em que a busca pela felicidade individual pode tirar a atenção das pessoas de questões sociais mais amplas e da necessidade de agir para aprimorá-las.

"Num mundo que valoriza a eficiência, há pouco espaço para o sofrimento e para a dor"
A tristeza tornou-se um sentimento intolerável na nossa sociedade? Acredito que ainda não chegamos a esse ponto, mas de fato existe uma impaciência crescente em relação à tristeza. É como se houvesse menos tolerância em relação à amplitude natural das emoções humanas. Nummundo que valoriza a eficiência e o trabalho frenético, há pouco espaço para o sofrimento e para a dor. A tristeza profunda provoca, biologicamente, uma necessidade de recolhimento. Ela pode fazer com que você não queira trabalhar por uns dias, ou não queira ver seus amigos por algumas semanas, e isso é considerado indesejável. Acredita-se que as emoções não podem atrapalhar os papéis profissionais ou familiares de uma pessoa. Quando isso acontece, existe uma tendência de rotular esse comportamento como doença – ainda que o sofrimento tenha sido provocado por um fator específico, como a perda de alguém querido, de um relacionamento importante, de um emprego ou de um bem material, por exemplo. A psiquiatria passou a rotular quase todo tipo de tristeza como depressão, e as pessoas tornaram-se ultrasensíveis em relação aos sentimentos negativos. Muitas recorrem aos antidepressivos ao primeiro sinal de angústia.Como não confundir tristeza com depressão? A depressão é um quadro clínico no qual o sofrimento não tem nenhuma relação com o contexto que a pessoa está vivendo, ou no qual sua resposta emocional é completamente desmedida em relação ao evento que provocou aquele sentimento. A tristeza normal – que pode ser intensa – é uma resposta natural a um acontecimento real. Essa distinção fundamental não é fácil. Há uma linha tênue entre as duas coisas e sempre haverá casos controversos. O problema é que ela simplesmente não está sendo feita.

Há casos em que a tristeza deva ser tratada com remédios? Eu e meu colega Allan Horwitz não somos radicalmente contra o uso de medicação. Acreditamos que a decisão de usar ou não medicamentos deva ser tomada pelo médico com seu paciente. É possível que o uso de remédios seja apropriado em alguns casos de tristeza, quando o sofrimento é extraordinariamente intenso e a pessoa sente que, se conseguir aliviá-lo um pouco, poderá se tornar mais apta para lidar com aquela situação e reconstruir um determinado aspecto de sua vida. Mas é importante notar, em primeiro lugar, que essas drogas não são tão eficazes para a maioria das pessoas quanto costumamos acreditar. Não é como tomar uma aspirina para a dor de cabeça. Na maioria dos casos, é necessário tentar vários remédios até encontrar um que funcione. Em segundo lugar, os efeitos colaterais são piores do que os anunciados e vão além de alterações na libido. O mais importante, porém, é que a ciência ainda não sabe de que maneira os medicamentos interagem com a tristeza normal. É algo que ainda precisa ser investigado. O problema é que, como a psiquiatria não distingue entre a depressão e a tristeza normal, as pesquisas que vêm sendo feitas ainda não respondem essa questão.

E vcs...o que acham disso?

segunda-feira, 10 de março de 2008

COPIEI DE MILA...RS


Se eu fosse um mês seria... julho
Se eu fosse um dia da semana seria... Sexta-feira
Se eu fosse um número seria... 27
Se eu fosse um planeta seria... Saturno, cheia de anéis...rsrs
Se eu fosse uma direcção seria... Sul
Se eu fosse um móvel seria...uma poltrona ultra confortável
Se eu fosse um líquido seria... água
Se eu fosse um pecado seria... luxúria... rs
Se eu fosse uma pedra seria... Água marinha
Se eu fosse um metal seria... ouro branco..rs
Se eu fosse uma árvore seria... Um ipê rosa
Se eu fosse uma fruta seria... morango
Se eu fosse uma flor seria... hortênsia
Se eu fosse um clima seria... frio
Se eu fosse um instrumento musical seria... piano
Se eu fosse um elemento seria... água
Se eu fosse uma cor seria... rosa
Se eu fosse um animal seria uma... uma libélula
Se eu fosse uma canção seria... All I Want is you, U2
Se eu fosse um estilo de musica seria... árabe misturado com medieval...rs
Se eu fosse um perfume seria... um floral cítrico
Se eu fosse um sentimento seria... amor
Se eu fosse um livro seria... A Casa das Sete Mulheres
Se eu fosse uma comida seria... salada ceasar
Se eu fosse um lugar (cidade) seria... Highlands, Escócia...rs
Se eu fosse um gosto seria... molho barbecue..ácido...rs
Se eu fosse um cheiro seria... de rosa
Se eu fosse uma palavra seria... plenitude
Se eu fosse um verbo seria...viver
Se eu fosse um objecto seria... batom.. rsss
Se eu fosse uma roupa seria... uma lingerie sexy...rs
Se eu fosse uma parte do corpo seria... olhos
Se eu fosse uma expressão seria... mistério
Se eu fosse um desenho animado seria... Penélope Charmosa...rs
Se eu fosse um filme seria... Dirty Dancing(esse eu copiei mesmo...rs....adoroo)
Se eu fosse forma seria... não falo, coisa sem graça...rs
Se eu fosse uma estação seria...inverno
Se eu fosse uma frase seria... "Tudo Vale a pena se a alma não é pequena" Fernando Pessoa

segunda-feira, 3 de março de 2008

CHEMISE


Vestido jeans estilo chemise, tamanho 40/42, totalmente outono inverno 2008!
Da Company, lembram dela?
rs
Por 35,00+frete e ele é todinho seu...
E aí...vai?

YES BRAZIL




Essa peça aí é bem versátil: é uma bata/colete/bolero bem retrô, estampa com anjinhos, flores, rosas, etc...
100% viscose, muito macia, gostosa no corpo
Vc pode usar com ribana, colocar um cinto largo, ou simplesmente vesti-la sozinha...
18,00 +frete e é toda sua!

VESTIDO FASHION





Esse aí é um vestido da marca FOLIC, tamanho 39, mas é stretch, veste um 4o mignon...rs
Muito sexy nas costas, como vcs podem ver...
Todo forrado em cetim vermelho
Por 30,00 + frete ele pode ser seu...quer?